5. Participação das partes interessadas

5.3. Parcerias: empregadores e empresas

A sensibilização e a compreensão do mundo do trabalho fazem parte da educação e a melhor forma de as alcançar é por meio de parcerias entre empresas e escolas. Estas parcerias produzem benefícios significativos para todos os envolvidos, mas beneficiam sobretudo os jovens em termos de sensibilização e experiência do mundo do trabalho, compreensão das exigências de um emprego e das expectativas do empregador, bem como a pertinência da educação para as necessidades do empregador.

Mostrar mais

Recursos ( Pesquisar todos os recursos )

Note que por enquanto o conteúdo nas páginas de recursos só está disponível em inglês.

Apoio à Liderança Escolar Inclusiva (SISL)

O projeto Apoio à Liderança Escolar Inclusiva (SISL – sigla em inglês) propôs-se investigar como promover a liderança inclusiva ao nível da escola e como fornecer ferramentas de apoio. O projeto considerou que a liderança para a educação inclusiva visa alcançar a plena participação em oportunidades de aprendizagem significativas, bem como elevado aproveitamento e bem-estar para todos os alunos, incluindo os mais vulneráveis à exclusão.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 1.4. Cooperação dentro dos sistemas educativos; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; GA; HR; HU; IS; IT; LT; LV; MK; MT; NL; NO; PL; PT; RO; RU; SK; SL; SR; SV; TR

País: Alemanha; Bulgária; Bélgica; Chipre; Croácia; Dinamarca; Eslováquia; Eslovénia; Espanha; Estónia; Finlândia; França; Grécia; Hungria; Irlanda; Islândia; Itália; Letónia; Lituânia; Luxemburgo; Malta; Noruega; Países Baixos; Polónia; Portugal; Reino Unido; República Checa; Suécia; Suíça; Sérvia; Áustria

Inovação escolar na Europa: promover a autoestima e as competências de pensamento mais elevadas através de inovação do programa curricular na Escola Básica Willenhall Community

A abordagem da escola ao ensino e à aprendizagem baseia-se na obtenção da excelência e realização educativa para todos os alunos. A escola desenvolveu um programa curricular estimulante, que procura proporcionar aos alunos uma compreensão dos processos de aprendizagem em que participam (metacognição) e promover a sua autoconfiança. O ensino especializado em certas disciplinas (Ciências, Música, Arte, Educação Física) constitui um elemento fundamental neste processo, assim como o desenvolvimento do ensino da Matemática na escola (para alunos do sexto ano). O ensino da Filosofia a todos os alunos é também um elemento vital no desenvolvimento das competências de pensamento, resiliência e autoconfiança dos alunos. A inovação do programa curricular é realizada por iniciativa da escola, que trabalha em cooperação com os seus parceiros da Federação na Escola Básica Whitmore Park. Todo o pessoal, o órgão de direção, os alunos e os pais são regularmente consultados e integrados no processo de desenvolvimento curricular, e a escola colabora intensamente com os parceiros da comunidade para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem mais latas.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 1.4. Cooperação dentro dos sistemas educativos; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.1. Comunicação e informação; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

Manchester Communication Academy (MCA)

Manchester Communication Academy (MCA) works to improve outcomes for children, families and the community. This secondary academy opened in 2010 to serve one of the most disadvantaged inner-city neighbourhoods in England. From the outset, the academy’s sponsor, a large employer in the city, wanted the school to help to contribute to a vibrant and sustainable neighbourhood, and committed to addressing the many inter-related economic, social and physical challenges which characterise the neighbourhood. This mission has directly shaped the academy programme, which places equal importance on ‘teaching and learning’ and ‘social investment’. The school’s social investment department is a highly distinctive feature of its overall strategy for addressing the impacts of disadvantage on young people’s education and wider life chances.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.3. Orientação profissional e apoio; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 3.6. Aprendizagem alargada e extracurricular; 3.7. Acompanhamento de alunos em situação de risco; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 4.4. Aprendizagem familiar; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Reino Unido

Prevenindo o insucesso escolar: Examinando o potencial das políticas de educação inclusiva a nível sistémico e a nível individual

O projeto Prevenir o Insucesso Escolar (PSF – sigla em inglês) teve como objetivo abordar a falta de inclusão e justiça no sistema educativo, dando destaque . O objetivo era examinar as evidências que sugerem que as políticas de educação inclusiva têm potencial para prevenir o insucesso escolar – tanto em relação aos indivíduos como ao sistema em geral. 

 

 

Áreas: 1. Governação escolar; 3. Apoio aos alunos; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.7. Acompanhamento de alunos em situação de risco; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; GA; HR; HU; IS; IT; LT; LV; MK; MT; NL; NO; PL; PT; RO; SK; SL; SR; SV; TR

País: Alemanha; Eslováquia; Estónia; Finlândia; Grécia; Irlanda; Islândia; Letónia; Malta; Reino Unido; República Checa; Suécia; Sérvia

Talk of the Town (ToTT)

A intervenção «Talk of the Town» (ToTT) (Nas bocas do mundo) foi desenvolvida pela The Communication Trust e pela ICAN – duas ONG no domínio da fala, da língua e da comunicação sediadas no Reino Unido. A ToTT foi introduzida a título experimental em 2011- 2012, num pequeno agrupamento de escolas (do ensino básico e secundário) de Manchester, situadas numa zona socialmente desfavorecida, para dar resposta aos atrasos no desenvolvimento da fala, da linguagem e da comunicação oral detetados nas crianças. Trata-se de uma abordagem integrada, comunitária e sistemática de apoio ao desenvolvimento da fala, da linguagem e da comunicação oral das crianças e dos jovens. É fundamental detetar e prestar apoio aos alunos com dificuldades de aprendizagem, antes de o problema se traduzir em absentismo escolar. Os estudos indicam que é necessário identificar os alunos em risco e intervir rapidamente ao nível mais adequado, devendo aplicar-se, nestes casos, uma abordagem específica. A ToTT utiliza um processo sistemático para integrar as estratégias e alcançar resultados positivos mensuráveis. A sua introdução experimental teve quatro objetivos fundamentais: 1. Identificação precoce de crianças e jovens com necessidades especiais ao nível da fala, da linguagem e da comunicação oral; 2. Colaboração entre os pais e os técnicos no domínio da saúde e da educação; 3. Melhoria das competências de crianças e jovens ao nível da fala, da linguagem e da comunicação oral; e 4. Uma abordagem sustentável para que as políticas e práticas continuem a apoiar a obtenção de resultados positivos.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 4.1. Comunicação e informação; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

UK_YOUTH CONTRACT (CONTRATO PARA JOVENS, REINO UNIDO)

O UK Youth Contract destina-se a jovens de 16-17 anos em risco de se tornarem NEET (jovens que não trabalham, não estudam e não seguem uma formação). Tem três objetivos fundamentais: Objetivo 1: o objetivo principal do programa é apoiar os jovens de 16-17 anos de idade que não estudam nem trabalham e correm o risco de se desvincularem a longo prazo de qualquer ocupação, para que regressem à escola, ingressem em cursos de formação ou encontrem um emprego com formação associada, e mantenham essa situação. Objetivo 2: aumentar a experiência e as qualificações destes jovens para que tenham a possibilidade de permanecer no sistema de ensino e de encontrar um emprego, reduzindo a percentagem dos que ficarão desempregados na vida adulta. Objetivo 3: testar métodos de execução a nível local e de pagamento em função dos resultados, aumentando a eficácia destes modelos e desenvolvendo as melhores práticas.

Áreas: 3. Apoio aos alunos; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 3.3. Orientação profissional e apoio; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

Mostrar os resultados 10 seguintes