5. Participação das partes interessadas

5.2. Redes de partes interessadas

Quando são muitas as partes interessadas envolvidas no desenvolvimento e na execução de uma estratégia destinada a dar resposta ao abandono escolar precoce, pode ser necessário criar estruturas formalizadas para apoiar o seu trabalho. Todas as partes interessadas devem ter uma compreensão comum dos desafios a que procuram dar resposta e partilhar um objetivo e uma abordagem comuns. Também devem existir estruturas de apoio e mecanismos de coordenação para assegurar o diálogo e um fluxo de informação recíproco entre a escola e um conjunto mais alargado de partes interessadas, bem como com as autoridades públicas pertinentes. As redes de partes interessadas, para serem eficazes, precisam de um conjunto adequado de partes interessadas que compreendam as circunstâncias locais e o contexto e que sejam capazes de intervir localmente nos problemas que estão a pôr os alunos em risco de abandono escolar precoce. É necessário identificar um vasto leque de partes interessadas e de profissionais que possam contribuir para a rede, devendo estes ser convidados e fazer parte do processo desde o início.

Mostrar mais

Recursos ( Pesquisar todos os recursos )

Note que por enquanto o conteúdo nas páginas de recursos só está disponível em inglês.

Indicadores estruturais para o desenvolvimento de sistemas inclusivos no contexto escolar

O presente conjunto de indicadores estruturais para a promoção de sistemas inclusivos na escola e no meio envolvente pode ser utilizado pelos diretores dos estabelecimentos de ensino, professores, pais e outros parceiros para refletirem sobre o nível de inclusão existente nas suas escolas. Formulados como afirmações, de resposta afirmativa ou negativa («sim» ou «não»), os indicadores destinam-se a orientar o processo de autoavaliação dos agentes educativos em vários domínios pertinentes. Entende-se por inclusão escolar um ambiente favorável, com uma aprendizagem de qualidade, em que todos se sintam acolhidos e protegidos ao nível da escola e da sala de aula. Para que a inclusão se torne uma realidade há que prevenir a discriminação, responder de forma global às necessidades (emocionais, físicas, cognitivas e sociais) dos alunos e reconhecer os seus talentos e formas de expressão.

Os indicadores abrangem os seguintes domínios principais:

  1. Uma abordagem escolar integrada ao desenvolvimento de sistemas inclusivos
  2. A qualidade dos professores e dirigentes escolares
  3. A promoção da integração sistémica das políticas e práticas
  4. Uma tónica multidisciplinar na saúde e no bem-estar
  5. A promoção da participação dos pais e do apoio familiar e
  6. A satisfação das necessidades de pessoas e grupos particularmente vulneráveis

A seleção dos indicadores é baseada nos principais documentos de orientação do Conselho da UE e da Comissão Europeia nesta matéria, bem como em dados internacionais recentes sobre educação inclusiva.

A presente ferramenta faz parte do Relatório sobre os indicadores estruturais de sistemas inclusivos nas escolas e no meio envolvente (EN), em que cada indicador é contextualizado e explicado.

Autores:

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.7. Acompanhamento de alunos em situação de risco; 3.9. Apoio seletivo: migrantes, ciganos; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Europa