5. Participação das partes interessadas

5.2. Redes de partes interessadas

Quando são muitas as partes interessadas envolvidas no desenvolvimento e na execução de uma estratégia destinada a dar resposta ao abandono escolar precoce, pode ser necessário criar estruturas formalizadas para apoiar o seu trabalho. Todas as partes interessadas devem ter uma compreensão comum dos desafios a que procuram dar resposta e partilhar um objetivo e uma abordagem comuns. Também devem existir estruturas de apoio e mecanismos de coordenação para assegurar o diálogo e um fluxo de informação recíproco entre a escola e um conjunto mais alargado de partes interessadas, bem como com as autoridades públicas pertinentes. As redes de partes interessadas, para serem eficazes, precisam de um conjunto adequado de partes interessadas que compreendam as circunstâncias locais e o contexto e que sejam capazes de intervir localmente nos problemas que estão a pôr os alunos em risco de abandono escolar precoce. É necessário identificar um vasto leque de partes interessadas e de profissionais que possam contribuir para a rede, devendo estes ser convidados e fazer parte do processo desde o início.

Mostrar mais

Recursos ( Pesquisar todos os recursos )

Note que por enquanto o conteúdo nas páginas de recursos só está disponível em inglês.

Inovação escolar na Europa: promover a autoestima e as competências de pensamento mais elevadas através de inovação do programa curricular na Escola Básica Willenhall Community

A abordagem da escola ao ensino e à aprendizagem baseia-se na obtenção da excelência e realização educativa para todos os alunos. A escola desenvolveu um programa curricular estimulante, que procura proporcionar aos alunos uma compreensão dos processos de aprendizagem em que participam (metacognição) e promover a sua autoconfiança. O ensino especializado em certas disciplinas (Ciências, Música, Arte, Educação Física) constitui um elemento fundamental neste processo, assim como o desenvolvimento do ensino da Matemática na escola (para alunos do sexto ano). O ensino da Filosofia a todos os alunos é também um elemento vital no desenvolvimento das competências de pensamento, resiliência e autoconfiança dos alunos. A inovação do programa curricular é realizada por iniciativa da escola, que trabalha em cooperação com os seus parceiros da Federação na Escola Básica Whitmore Park. Todo o pessoal, o órgão de direção, os alunos e os pais são regularmente consultados e integrados no processo de desenvolvimento curricular, e a escola colabora intensamente com os parceiros da comunidade para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem mais latas.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 1.4. Cooperação dentro dos sistemas educativos; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.1. Comunicação e informação; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

Manchester Communication Academy (MCA)

Manchester Communication Academy (MCA) works to improve outcomes for children, families and the community. This secondary academy opened in 2010 to serve one of the most disadvantaged inner-city neighbourhoods in England. From the outset, the academy’s sponsor, a large employer in the city, wanted the school to help to contribute to a vibrant and sustainable neighbourhood, and committed to addressing the many inter-related economic, social and physical challenges which characterise the neighbourhood. This mission has directly shaped the academy programme, which places equal importance on ‘teaching and learning’ and ‘social investment’. The school’s social investment department is a highly distinctive feature of its overall strategy for addressing the impacts of disadvantage on young people’s education and wider life chances.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.3. Orientação profissional e apoio; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 3.6. Aprendizagem alargada e extracurricular; 3.7. Acompanhamento de alunos em situação de risco; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 4.4. Aprendizagem familiar; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Reino Unido

UK_YOUTH CONTRACT (CONTRATO PARA JOVENS, REINO UNIDO)

O UK Youth Contract destina-se a jovens de 16-17 anos em risco de se tornarem NEET (jovens que não trabalham, não estudam e não seguem uma formação). Tem três objetivos fundamentais: Objetivo 1: o objetivo principal do programa é apoiar os jovens de 16-17 anos de idade que não estudam nem trabalham e correm o risco de se desvincularem a longo prazo de qualquer ocupação, para que regressem à escola, ingressem em cursos de formação ou encontrem um emprego com formação associada, e mantenham essa situação. Objetivo 2: aumentar a experiência e as qualificações destes jovens para que tenham a possibilidade de permanecer no sistema de ensino e de encontrar um emprego, reduzindo a percentagem dos que ficarão desempregados na vida adulta. Objetivo 3: testar métodos de execução a nível local e de pagamento em função dos resultados, aumentando a eficácia destes modelos e desenvolvendo as melhores práticas.

Áreas: 3. Apoio aos alunos; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 3.3. Orientação profissional e apoio; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido