4. Participação dos pais

4.1. Comunicação e informação

A investigação tem revelado que os benefícios da participação dos pais dependem em grande medida da qualidade dessa participação. As escolas têm um papel importante a desempenhar no que toca a desenvolver e manter fluxos de comunicação e informação com os pais. A maioria dos países europeus tem em vigor disposições jurídicas que asseguram o direito dos pais a serem informados acerca da educação dos filhos. Contudo, estas podem não ser muito eficazes para os pais e as famílias que estão mais distantes da cultura escolar. Além dos procedimentos formais de comunicação, são necessárias medidas complementares para chegar a diferentes grupos de pais, incluindo os que utilizam diferentes estilos para educar os filhos e que têm diferentes níveis de «distanciamento» em relação à escola.

Mostrar mais

Recursos ( Pesquisar todos os recursos )

Note que por enquanto o conteúdo nas páginas de recursos só está disponível em inglês.

CARE TO LEARN – PROGRAMA DE APOIO AO ACOLHIMENTO DE CRIANÇAS DO REINO UNIDO

O programa de apoio à aprendizagem [Care to Learn] do Reino Unido-Inglaterra pode ajudar a suportar os custos de acolhimento de crianças, nomeadamente a caução e a taxa de matrícula, sessões para a criança se familiarizar com as instalações com duração máxima de 5 dias, manutenção do lugar na instalação de acolhimento de crianças durante as férias de verão e transporte até à mesma. O presente documento apresenta uma breve descrição, bem como os resultados da avaliação mais recente da medida.

Áreas: 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais

Subáreas: 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.1. Comunicação e informação

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

CENTROS COMUNITÁRIOS DE APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA

A NESET – Rede de peritos em aspetos sociais da educação e da formação publica relatórios para profissionais e decisores políticos interessados na promoção da equidade e da inclusão na educação e na formação em toda a União Europeia. O documento visa examinar estratégias para a criação de centros comunitários de aprendizagem ao longo da vida nos Estados-Membros da UE. Explora provas e trabalhos de investigação sobre os benefícios e as vantagens da criação de tais centros, bem como as barreiras e dificuldades que impedem a sua criação e eficácia. O relatório conclui que os centros comunitários de aprendizagem ao longo da vida podem proporcionar simultaneamente a promoção de uma variedade de objetivos fundamentais de aprendizagem ao longo da vida, tais como a cidadania ativa, a inclusão/coesão social, a realização pessoal e social, o diálogo intercultural, bem como percursos profissionais.

Áreas: 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 4.1. Comunicação e informação; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 4.4. Aprendizagem familiar; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Albânia; Alemanha; Bulgária; Bélgica; Chipre; Croácia; Dinamarca; Eslováquia; Eslovénia; Espanha; Estónia; Finlândia; França; Grécia; Hungria; Irlanda; Islândia; Itália; Letónia; Lituânia; Luxemburgo; Macedónia do Norte; Malta; Noruega; Países Baixos; Polónia; Portugal; Reino Unido; República Checa; Roménia; Suécia; Sérvia; Turquia; Áustria

Escolas Respeitadoras dos Direitos (RRS)

As Escolas Respeitadoras dos Direitos (RRS – Right Respecting Schools) são uma abordagem liderada pela Unicef-Reino Unido, que integra a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança (CNUDC), como uma abordagem global da escola para a educação em matéria de direitos da criança. O objetivo global da abordagem consiste em criar uma cultura escolar participativa, inclusiva e segura, que garanta o respeito por todos os membros da comunidade escolar. O instrumento da Unicef de educação para os direitos da criança (CRE) proporciona orientações sobre como ser uma Escola Respeitadora dos Direitos. As escolas adaptam a abordagem RRS ao seu contexto. A abordagem influencia as relações entre cada interveniente no ambiente escolar e é aplicável a todos os contextos escolares. O quadro descrito no instrumento RRS tenciona fornecer um princípio organizativo central para toda a escola e, por extensão, para as famílias e a comunidade na qual a escola se insere. Existem três fases de desenvolvimento. A segunda e terceira fases (níveis 1 e 2) são semelhantes. O objetivo consiste em executar um plano de ação desenvolvido durante a fase Reconhecimento do Compromisso, a fim de cumprir as quatro normas da abordagem RRS: 1. Valores de respeito pelos direitos subjacentes à liderança e à gestão 2. Toda a comunidade escolar adquire conhecimentos sobre a CDC 3. A escola tem uma cultura respeitadora dos direitos 4. As crianças são capacitadas para se tornarem alunos e cidadãos ativos.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.4. O bem-estar dos professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 4.1. Comunicação e informação; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

GUIA PARA MEDIADORES ESCOLARES DE ETNIA CIGANA

O «Guia para  mediadores/assistentes/ escolares de etnia cigana», elaborado pelo Conselho da Europa, destina-se principalmente a todas as categorias de funcionários da comunidade cigana que trabalham para melhorar as condições de escolarização das crianças de etnia cigana. Visa facultar aos funcionários instrumentos abrangentes e orientações práticas, que podem ser adaptados a diferentes contextos. O guia tem em conta os perfis dos assistentes e mediadores escolares e o seu papel na facilitação das relações entre a escola e a(s) comunidade(s) cigana(s) e entre os professores e outros funcionários da escola e os pais de crianças de etnia cigana. O conteúdo do guia pretende, assim, contribuir para melhorar o trabalho dos assistentes e mediadores escolares de etnia cigana, bem como reduzir o impacto de eventuais efeitos indesejáveis ao prever atividades quotidianas estruturadas e destacar aspetos da mediação que não são frequentemente utilizados na prática.

Áreas: 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais

Subáreas: 3.9. Apoio seletivo: migrantes, ciganos; 4.1. Comunicação e informação

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Albânia; Alemanha; Bulgária; Bélgica; Chipre; Croácia; Dinamarca; Eslováquia; Eslovénia; Espanha; Estónia; Finlândia; França; Grécia; Hungria; Irlanda; Islândia; Itália; Letónia; Lituânia; Luxemburgo; Macedónia do Norte; Malta; Noruega; Países Baixos; Polónia; Portugal; Reino Unido; República Checa; Roménia; Suécia; Sérvia; Turquia; Áustria

PARTICIPAÇÃO DOS PAIS PARA A PREVENÇÃO DO ABANDONO ESCOLAR PRECOCE

Este relatório visa informar e orientar o planeamento estratégico a curto e médio prazo dos 10 municípios participantes no programa Urbact - PREVENT, bem como o de todos os outros municípios, órgãos de poder local e escolas em toda a Europa no que respeita à participação dos pais na educação para a prevenção do abandono escolar precoce. A avaliação baseia-se numa análise de documentos do Conselho da UE e da Comissão sobre o abandono escolar precoce e a inclusão social, num diálogo e processo de consulta permanente com os 10 municípios que participam no projeto Urbact - PREVENT e questiona a investigação internacional pertinente para este domínio. O projeto PREVENT é financiado pelo programa Urbact da UE.

Áreas: 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 4.1. Comunicação e informação; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 4.4. Aprendizagem familiar; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Albânia; Alemanha; Bulgária; Bélgica; Chipre; Croácia; Dinamarca; Eslováquia; Eslovénia; Espanha; Estónia; Finlândia; França; Grécia; Hungria; Irlanda; Islândia; Itália; Letónia; Lituânia; Luxemburgo; Macedónia do Norte; Malta; Noruega; Países Baixos; Polónia; Portugal; Reino Unido; República Checa; Roménia; Suécia; Sérvia; Turquia; Áustria

School innovation in Europe: Curriculum innovation for a conductive and supporting learning environment at the President Kennedy School in Coventry

The school’s philosophy in relation to teaching and learning is focused students’ active understanding of and participation in the learning process. The school’s curriculum is based on the principles of progression and coherence.

‘The Bridge’ is one of the key innovative practices implemented at the school. It consists of a curriculum innovation established to provide a conducive and supportive learning environment for students entering secondary education at age 11. Learning is project-based and delivered by teams of teachers from different areas of the curriculum, which enables students to engage with a small number of teachers, and to work on clearly defined and cohesive learning objectives. The five principles underpinning the Bridge are: Achievement; Belonging; Celebration; Discipline; Enrichment. The students are empowered as independent learners – throughout their time at the school – and beyond. A rewards system enables students to earn points towards prizes at the end of the year.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 4.1. Comunicação e informação; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Reino Unido

School innovation in Europe: promoting students’ self-esteem and higher order thinking skills through curriculum innovation at the Willenhall Community Primary School

The school’s approach to teaching and learning is based on attaining educational excellence and achievement for all students. The school developed a stimulating curriculum which seeks to provide its students with an understanding of the learning processes in which they are involved (meta-cognition) – and to build their self-belief. The provision of specialist teaching in certain subject areas (science, music, art, physical education) is a key element in this process, as is the development of maths teaching throughout the school (for 6th graders). The teaching of philosophy to all students is also a vital element in developing students’ thinking skills, resilience and self-confidence. Curriculum innovation is undertaken on the initiative of the school, working in co-operation with its Federation partners at Whitmore Park Primary School. All staff, the governing body, students and parents are regularly consulted and made part of the process of curriculum development, and the school is strongly engaged with community partners in developing broader learning activities.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 1.4. Cooperação dentro dos sistemas educativos; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.1. Comunicação e informação; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Reino Unido

Talk of the Town (ToTT)

A intervenção «Talk of the Town» (ToTT) (Nas bocas do mundo) foi desenvolvida pela The Communication Trust e pela ICAN – duas ONG no domínio da fala, da língua e da comunicação sediadas no Reino Unido. A ToTT foi introduzida a título experimental em 2011- 2012, num pequeno agrupamento de escolas (do ensino básico e secundário) de Manchester, situadas numa zona socialmente desfavorecida, para dar resposta aos atrasos no desenvolvimento da fala, da linguagem e da comunicação oral detetados nas crianças. Trata-se de uma abordagem integrada, comunitária e sistemática de apoio ao desenvolvimento da fala, da linguagem e da comunicação oral das crianças e dos jovens. É fundamental detetar e prestar apoio aos alunos com dificuldades de aprendizagem, antes de o problema se traduzir em absentismo escolar. Os estudos indicam que é necessário identificar os alunos em risco e intervir rapidamente ao nível mais adequado, devendo aplicar-se, nestes casos, uma abordagem específica. A ToTT utiliza um processo sistemático para integrar as estratégias e alcançar resultados positivos mensuráveis. A sua introdução experimental teve quatro objetivos fundamentais: 1. Identificação precoce de crianças e jovens com necessidades especiais ao nível da fala, da linguagem e da comunicação oral; 2. Colaboração entre os pais e os técnicos no domínio da saúde e da educação; 3. Melhoria das competências de crianças e jovens ao nível da fala, da linguagem e da comunicação oral; e 4. Uma abordagem sustentável para que as políticas e práticas continuem a apoiar a obtenção de resultados positivos.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 4.1. Comunicação e informação; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido