3. Apoio aos alunos

3.8. Apoio seletivo: língua

As salas de aula multilingues são uma realidade crescente nos países da UE: há cada vez mais crianças em idade escolar que têm uma língua materna diferente da língua principal de ensino na escola e que necessitam de apoio linguístico suplementar. O ensino deve adaptar-se às várias formas de fortalecer os conhecimentos linguísticos dos alunos imigrantes provenientes de diferentes contextos linguísticos. Nas escolas e salas de aula multilingues, é possível alguns alunos falarem uma língua em casa e outra na escola; alguns ou todos os alunos estão a aprender a língua de ensino.

Mostrar mais

Recursos ( Pesquisar todos os recursos )

Note que por enquanto o conteúdo nas páginas de recursos só está disponível em inglês.

A ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS PRIMÁRIAS EUROPEIAS EM COLÓNIA, ALEMANHA

Em Colónia, bem como em todas as grandes cidades alemãs, existe uma grande percentagem de crianças que aprendem alemão como segunda língua, pelo que o sistema de ensino teve de se adaptar gradualmente a esta situação. A câmara municipal aproveitou a oportunidade para criar a Associação de Escolas Primárias Europeias a fim de oferecer às crianças a possibilidade de desenvolverem duas línguas além da sua língua materna. As 13 escolas afiliadas utilizam as línguas de origem mais comuns como línguas de instrução, além do alemão, e oferecem o ensino de línguas adicionais enquanto disciplina distinta.

Área: 3. Apoio aos alunos

Sub-área: 3.8. Apoio seletivo: língua

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Alemanha

ANO LIVRE PARA OS MIGRANTES RECÉM-CHEGADOS

Trata-se de um programa de instrução de preparação para o ensino básico e destina-se aos alunos de origem migrante cujas competências na língua finlandesa ou sueca e/ou outras capacidades não sejam suficientes para estudar num grupo de ensino pré-primário ou básico. O objetivo consiste em apoiar o desenvolvimento equilibrado dos alunos e a sua integração na sociedade finlandesa, bem como proporcionar-lhes as competências necessárias para que possam frequentar o ensino básico. Caso necessário, o programa prevê a possibilidade de estudo de outras disciplinas, mas com destaque para a aquisição de competências na língua finlandesa ou sueca. Este modelo de ensino toma em consideração as diferenças dos alunos em termos de idade, capacidades de aprendizagem e origens.

Área: 3. Apoio aos alunos

Subáreas: 3.8. Apoio seletivo: língua; 3.9. Apoio seletivo: migrantes, ciganos

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Finlândia

Comparemos as nossas línguas: aprendizagem de línguas por comparação

Toda a aprendizagem de línguas é baseada na comparação consciente ou inconsciente entre as línguas que já conhecemos e as que aprendemos. Este aspeto pode ser transformado num recurso valioso nas salas de aula confrontadas com o desafio da integração cultural e linguística de alunos recém-chegados de muitos países diferentes.

Área: 3. Apoio aos alunos

Sub-área: 3.8. Apoio seletivo: língua

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: França

CONJUNTO DE FERRAMENTAS LUCIDE SOBRE MULTILINGUISMO NA EDUCAÇÃO

A maior mobilidade e a mudança dos padrões de migração estão a ter grande impacto nos sistemas de ensino em todo o mundo. A necessidade de dotar todo o pessoal escolar, aos vários níveis, das competências necessárias para trabalhar eficazmente com crianças que desconhecem a língua do país de acolhimento já se faz sentir há algum tempo. Não são apenas as crianças recém-chegadas ao país que necessitam de apoio, os alunos bilingues também têm de ser apoiados. Crescer e viver numa família em que são faladas duas ou mais línguas altera as capacidades linguísticas e a forma como as crianças aprendem. Os alunos bilingues têm, por conseguinte, necessidades específicas, exigindo, em especial, recursos de aprendizagem específicos, nos quais o seu desenvolvimento e aprendizagem futuros se possam alicerçar.

Área: 3. Apoio aos alunos

Sub-área: 3.8. Apoio seletivo: língua

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Albânia; Alemanha; Bulgária; Bélgica; Chipre; Croácia; Dinamarca; Eslováquia; Eslovénia; Espanha; Estónia; Finlândia; França; FYROM (Macedónia); Grécia; Hungria; Irlanda; Islândia; Itália; Letónia; Lituânia; Luxemburgo; Malta; Noruega; Países Baixos; Polónia; Portugal; Reino Unido; República Checa; Roménia; Suécia; Sérvia; Turquia; Áustria

IKAN Project

The IKAN project is a project where higher education students of the consortium of Antwerp University and Colleges (AUHA) voluntarily assist Newly Arrived Immigrant (including Refugee) Children with their studies in secondary education. This project aims to respond to the large increase of Newly Arrived Immigrant Children in Flemish education in recent years.

After a maximum of 1 year in reception classes (i.e. OKAN: reception classes for foreign-speaking newcomers), newly arrived immigrant students continue to regular education. This transition is often difficult. Only a small part of the foreign-speaking newcomers who started in OKAN eventually receives a secondary education diploma. With the name IKAN (referring to I Can) the project wants to emphasize that newly arrived immigrant children can have a successful education career, when provided with the right support.

Áreas: 3. Apoio aos alunos; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 3.1. Bem estar dos alunos; 3.6. Aprendizagem alargada e extracurricular; 3.7. Acompanhamento de alunos em situação de risco; 3.8. Apoio seletivo: língua; 3.9. Apoio seletivo: migrantes, ciganos; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Bélgica

IndY (Individualized Learning at the school centre Ybbs)

In the school year 2015/16 the Schulzentrum Ybbs (a school center consisting of three vocational upper secondary schools) introduced a concept called IndY, which involves that 20% of the teaching time is intended for individualized learning. IndY aims at improving students’ expertise, motivation, self-responsibility, self-management, collaborative skills, emotional intelligence and learning methods.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 3.6. Aprendizagem alargada e extracurricular; 3.8. Apoio seletivo: língua; 3.9. Apoio seletivo: migrantes, ciganos; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.1. Comunicação e informação; 5.2. Redes de partes interessadas

Língua: EN

País: Áustria

INICIATIVAS PARA MELHORAR A LITERACIA

As iniciativas destinadas a melhorar a literacia dos alunos, em Malta, inserem-se no contexto mais geral da Estratégia Nacional de Literacia para Todos, que procurou consolidar os programas nacionais em vigor e envolveu mais de 8 000 alunos por ano. As escolas podem planear e organizar os seus próprios projetos de apoio à literacia para os alunos que deles necessitem. Estas iniciativas são financiadas por meio de subvenções concedidas, principalmente, pelas autoridades locais.

Áreas: 3. Apoio aos alunos; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 3.8. Apoio seletivo: língua; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Malta

KOALA: competências linguísticas e cognitivas em escolas multilingues

O método KOALA (KOordnierte ALphabetisierung im Anfangsunterricht – ensino coordenado da leitura no ensino básico) é um conceito inovador de ligação entre o ensino da leitura e as competências multilingues, introduzido nas escolas do primeiro ciclo do ensino básico de vários Länder (estados federados) alemães. Na Renânia do Norte-Vestefália, está a ser gradualmente alargado e adaptado à evolução da população estudantil das cidades.

Área: 3. Apoio aos alunos

Sub-área: 3.8. Apoio seletivo: língua

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Alemanha

Nordic Projects to Combat School Dropout

The aim of the report Nordic Projects to Combat School Dropout is to improve and inspire new initiatives for young people, and to create enriching contacts between actors and organisations in the Nordic region.
The Nordic Web Resource on Dropout from Upper Secondary Education was a project commissioned by the Nordic Council of Ministers and run by the Nordic Welfare Centre between 2012 and 2015. The aim of the project was to compile good examples of initiatives aimed at increasing the proportion of young people in the Nordic region who complete upper secondary education.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 1.4. Cooperação dentro dos sistemas educativos; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 2.4. O bem-estar dos professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.3. Orientação profissional e apoio; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 3.6. Aprendizagem alargada e extracurricular; 3.7. Acompanhamento de alunos em situação de risco; 3.8. Apoio seletivo: língua; 3.9. Apoio seletivo: migrantes, ciganos; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.1. Comunicação e informação; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 4.4. Aprendizagem familiar; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Dinamarca; Finlândia; Islândia; Noruega; Suécia

School innovation in Europe: Fostering equal chances for children from different social backgrounds by making learning more active at the Béla IV Primary School in Hejőkeresztúr

The ‘Complex Instruction Programme’ (CIP) provides equal chances for children from different social backgrounds. The method seeks to change children roles and responsibilities in active learning. CIP is based on four principles: (1) education involves a varied level of non-routine, open-end tasks to mobilise students of different abilities; (2) responsibility is shared, learners are responsible for their personal work while the group is responsible for individual achievements; (3) work is evaluated against set norms and roles; (4) hierarchy within the group - the status of the students is mobile. In addition, the school uses other innovative practices, such as a reading programme for the elementary grades where students regularly read aloud to each other in pairs, and then exchange their thoughts, and the ‘learning between generations’ programme where children draw their family trees and label each member with a special skill they have.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.4. O bem-estar dos professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.6. Aprendizagem alargada e extracurricular; 3.8. Apoio seletivo: língua; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos

Língua: EN

País: Hungria

Mostrar os resultados 10 seguintes