2. Professores

2.1. Aptidões e competências dos professores

O papel do docente torna-se cada vez mais vasto e exigente. Espera-se que os professores usem uma grande variedade de métodos, ferramentas e abordagens e que os adaptem às necessidades dos alunos. Precisam igualmente de possuir as competências e aptidões necessárias para criar um ambiente positivo na sala de aula e para trabalhar em colaboração com outras partes interessadas dentro e fora da escola, por forma a proporcionar apoio em tempo útil aos alunos.

 

Mostrar mais

Recursos ( Pesquisar todos os recursos )

Note que por enquanto o conteúdo nas páginas de recursos só está disponível em inglês.

Action Antibullying (AAB)

The project partners designed and implemented a new anti-bullying programme in schools in five EU countries. It drew on the experiences of existing programmes and practices originated by the project partners working in different cultural contexts.  It provided further evidence of effective approaches to the reduction of bullying in schools that will inform the development of improved child centred, whole school strategies for adoption at European level.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.3. Direção escolar; 1.4. Cooperação dentro dos sistemas educativos; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Eslovénia; Espanha; Itália; Reino Unido; Roménia

Escolas Respeitadoras dos Direitos (RRS)

As Escolas Respeitadoras dos Direitos (RRS – Right Respecting Schools) são uma abordagem liderada pela Unicef-Reino Unido, que integra a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança (CNUDC), como uma abordagem global da escola para a educação em matéria de direitos da criança. O objetivo global da abordagem consiste em criar uma cultura escolar participativa, inclusiva e segura, que garanta o respeito por todos os membros da comunidade escolar. O instrumento da Unicef de educação para os direitos da criança (CRE) proporciona orientações sobre como ser uma Escola Respeitadora dos Direitos. As escolas adaptam a abordagem RRS ao seu contexto. A abordagem influencia as relações entre cada interveniente no ambiente escolar e é aplicável a todos os contextos escolares. O quadro descrito no instrumento RRS tenciona fornecer um princípio organizativo central para toda a escola e, por extensão, para as famílias e a comunidade na qual a escola se insere. Existem três fases de desenvolvimento. A segunda e terceira fases (níveis 1 e 2) são semelhantes. O objetivo consiste em executar um plano de ação desenvolvido durante a fase Reconhecimento do Compromisso, a fim de cumprir as quatro normas da abordagem RRS: 1. Valores de respeito pelos direitos subjacentes à liderança e à gestão 2. Toda a comunidade escolar adquire conhecimentos sobre a CDC 3. A escola tem uma cultura respeitadora dos direitos 4. As crianças são capacitadas para se tornarem alunos e cidadãos ativos.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.4. O bem-estar dos professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 4.1. Comunicação e informação; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

GRUPOS INTERATIVOS DO INCLUD-ED

Os Grupos Interativos constituem uma das Ações Educativas de Sucesso (AES) identificadas no projeto de investigação INCLUD-ED. O projeto analisou as estratégias educativas que contribuem para superar as desigualdades e promover a coesão social, bem como as que conduzem à exclusão social, com especial incidência em grupos vulneráveis e marginalizados. Os Grupos Interativos são utilizados para melhorar a educação de crianças e jovens em diferentes contextos. Consistem no agrupamento de alunos numa turma em pequenos grupos heterogéneos, cada um dos quais apoiado por um adulto. Cada um destes grupos é organizado em redor de quatro ou cinco alunos, de forma heterogénea em termos de capacidade, sexo, cultura, língua e etnia. Este exemplo permite compreender os Grupos Interativos e os resultados da sua prática.

Áreas: 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais

Subáreas: 2.1. Aptidões e competências dos professores; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 3.9. Apoio seletivo: migrantes, ciganos; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Albânia; Alemanha; Bulgária; Bélgica; Chipre; Croácia; Dinamarca; Eslováquia; Eslovénia; Espanha; Estónia; Finlândia; França; Grécia; Hungria; Irlanda; Islândia; Itália; Letónia; Lituânia; Luxemburgo; Macedónia do Norte; Malta; Noruega; Países Baixos; Polónia; Portugal; Reino Unido; República Checa; Roménia; Suécia; Sérvia; Turquia; Áustria

Inovação escolar na Europa: Inovação do programa curricular para um ambiente de aprendizagem propício e de apoio na Escola President Kennedy em Coventry

A filosofia da escola relativamente ao ensino e à aprendizagem centra-se na compreensão ativa por parte dos alunos no processo de aprendizagem e na sua participação nesse processo. O programa curricular da escola tem por base os princípios da progressão e da coerência.
«A Ponte» é uma das práticas inovadoras importantes adotadas na escola. Consiste numa inovação do programa curricular criado com vista a proporcionar um ambiente de aprendizagem favorável e de apoio aos alunos que ingressam no segundo ciclo aos 11 anos. A aprendizagem é baseada em projetos e prestada por equipas de professores de diferentes áreas do programa curricular, o que permite aos alunos interagir com um pequeno número de professores e trabalhar em objetivos de aprendizagem claramente definidos e coesos. Os cinco princípios subjacentes a «A Ponte» são: Realização; Pertença; Celebração; Disciplina; Enriquecimento. Os alunos são capacitados como alunos independentes – durante o tempo que frequentam a escola e não só. Um sistema de recompensa permite aos alunos acumular pontos para ganhar prémios no fim do ano

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 4.1. Comunicação e informação; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

Inovação escolar na Europa: promover a autoestima e as competências de pensamento mais elevadas através de inovação do programa curricular na Escola Básica Willenhall Community

A abordagem da escola ao ensino e à aprendizagem baseia-se na obtenção da excelência e realização educativa para todos os alunos. A escola desenvolveu um programa curricular estimulante, que procura proporcionar aos alunos uma compreensão dos processos de aprendizagem em que participam (metacognição) e promover a sua autoconfiança. O ensino especializado em certas disciplinas (Ciências, Música, Arte, Educação Física) constitui um elemento fundamental neste processo, assim como o desenvolvimento do ensino da Matemática na escola (para alunos do sexto ano). O ensino da Filosofia a todos os alunos é também um elemento vital no desenvolvimento das competências de pensamento, resiliência e autoconfiança dos alunos. A inovação do programa curricular é realizada por iniciativa da escola, que trabalha em cooperação com os seus parceiros da Federação na Escola Básica Whitmore Park. Todo o pessoal, o órgão de direção, os alunos e os pais são regularmente consultados e integrados no processo de desenvolvimento curricular, e a escola colabora intensamente com os parceiros da comunidade para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem mais latas.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 1.2. Planeamento e monitorização escolar; 1.3. Direção escolar; 1.4. Cooperação dentro dos sistemas educativos; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.1. Comunicação e informação; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido

Manchester Communication Academy (MCA)

Manchester Communication Academy (MCA) works to improve outcomes for children, families and the community. This secondary academy opened in 2010 to serve one of the most disadvantaged inner-city neighbourhoods in England. From the outset, the academy’s sponsor, a large employer in the city, wanted the school to help to contribute to a vibrant and sustainable neighbourhood, and committed to addressing the many inter-related economic, social and physical challenges which characterise the neighbourhood. This mission has directly shaped the academy programme, which places equal importance on ‘teaching and learning’ and ‘social investment’. The school’s social investment department is a highly distinctive feature of its overall strategy for addressing the impacts of disadvantage on young people’s education and wider life chances.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.3. Direção escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 2.2. Os professores e o seu relacionamento com alunos e pais; 2.3. Formação inicial de professores e desenvolvimento profissional contínuo de professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 3.2. Participação dos alunos na vida escolar; 3.3. Orientação profissional e apoio; 3.4. Programas curriculares e percursos educativos; 3.5. Aprendizagem e avaliação; 3.6. Aprendizagem alargada e extracurricular; 3.7. Acompanhamento de alunos em situação de risco; 3.10. Apoio seletivo: necessidades educativas especiais e dificuldades de aprendizagem; 3.11. Apoio seletivo: origem em meios socioeconómicos desfavorecidos; 4.2. Participação dos pais na governação da escola; 4.3. Espaços para os pais e participação nas atividades educativas; 4.4. Aprendizagem familiar; 5.1. Equipas multidisciplinares; 5.2. Redes de partes interessadas; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas; 5.4. Parcerias: organizações comunitárias e sociedade civil

Língua: EN

País: Reino Unido

Talk of the Town (ToTT)

A intervenção «Talk of the Town» (ToTT) (Nas bocas do mundo) foi desenvolvida pela The Communication Trust e pela ICAN – duas ONG no domínio da fala, da língua e da comunicação sediadas no Reino Unido. A ToTT foi introduzida a título experimental em 2011- 2012, num pequeno agrupamento de escolas (do ensino básico e secundário) de Manchester, situadas numa zona socialmente desfavorecida, para dar resposta aos atrasos no desenvolvimento da fala, da linguagem e da comunicação oral detetados nas crianças. Trata-se de uma abordagem integrada, comunitária e sistemática de apoio ao desenvolvimento da fala, da linguagem e da comunicação oral das crianças e dos jovens. É fundamental detetar e prestar apoio aos alunos com dificuldades de aprendizagem, antes de o problema se traduzir em absentismo escolar. Os estudos indicam que é necessário identificar os alunos em risco e intervir rapidamente ao nível mais adequado, devendo aplicar-se, nestes casos, uma abordagem específica. A ToTT utiliza um processo sistemático para integrar as estratégias e alcançar resultados positivos mensuráveis. A sua introdução experimental teve quatro objetivos fundamentais: 1. Identificação precoce de crianças e jovens com necessidades especiais ao nível da fala, da linguagem e da comunicação oral; 2. Colaboração entre os pais e os técnicos no domínio da saúde e da educação; 3. Melhoria das competências de crianças e jovens ao nível da fala, da linguagem e da comunicação oral; e 4. Uma abordagem sustentável para que as políticas e práticas continuem a apoiar a obtenção de resultados positivos.

Áreas: 1. Governação escolar; 2. Professores; 3. Apoio aos alunos; 4. Participação dos pais; 5. Participação das partes interessadas

Subáreas: 1.1. Cultura e clima escolar; 2.1. Aptidões e competências dos professores; 3.1. Bem estar dos alunos; 4.1. Comunicação e informação; 5.3. Parcerias: empregadores e empresas

Língua: BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV

País: Reino Unido