TURMA DE ACOLHIMENTO

O projeto «Turma de Acolhimento» destina-se a alunos dos dois primeiros ciclos do ensino básico (6 a 12 anos de idade) recém-chegados a Portugal e cuja língua materna não seja o português). Em função do nível de proficiência linguística, a turma de acolhimento pode ocupar cerca de 10 horas por semana. Nesse período, os alunos são retirados da sua turma regular e colocados nesta turma especial até terem um domínio suficiente da língua portuguesa para acompanharem as aulas. Os alunos são identificados pelo diretor de turma, os professores ou a direção da escola (na altura da inscrição). O professor da turma de acolhimento avalia as necessidades do aluno e elabora uma estratégia. Quando o aluno atinge o nível de proficiência na língua portuguesa necessário para participar nas aulas normais, regressa à turma de origem.

O professor da turma de acolhimento e o professor da turma regular (principal) são responsáveis pela tomada de decisões sobre a forma de aplicação da medida (estratégias, tempo atribuído e âmbito da medida). O professor da turma de acolhimento, que só dá aulas a essa turma, realiza o seu trabalho em colaboração com o professor da turma regular.

É a direção da escola que tem a responsabilidade global pela execução desta medida.

O principal obstáculo consiste na falta de professores disponíveis para os alunos poderem passar mais tempo por semana na turma de acolhimento, sobretudo quando chegam ao país com pouco ou nenhum domínio da língua portuguesa. Durante algum tempo, seria aconselhável que tivessem um horário semanal mais alargado, o que nem sempre é possível devido à falta de professores e à exigência de que a dimensão das turmas não exceda os 10/12 alunos em simultâneo.

A execução da medida é monitorizada e avaliada pelo Observatório de Qualidade da Escola (a estrutura responsável pela monitorização e a avaliação interna da escola) e pela direção da escola.

Os resultados têm sido excelentes. A aprendizagem da língua portuguesa é acelerada, permitindo um regresso mais rápido às turmas regulares, e alguns alunos até conseguiram ter bom aproveitamento no seu primeiro ano em Portugal/na escola.

Quanto aos recursos e ao financiamento necessários, a medida exige uma sala específica, com materiais adequados para promover a aprendizagem da língua, e um professor a tempo inteiro, sendo financiada pelo Ministério da Educação ao abrigo do TEIP - Programa Territórios Educativos de Intervenção Prioritária.

A medida está em curso e faz parte do plano de melhoria do agrupamento de escolas do TEIP.

Tipo
Prática
País
Portugal
Língua
BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV
Nível escolar
Primary
Nível da intervenção
Segmentado
Intensidade da intervenção
Contínua
Fonte de financiamento
Governo nacional

Este recurso faz parte das seguintes áreas/subáreas :