JOPO – EDUCAÇÃO BÁSICA FLEXÍVEL

A Finlândia tem vindo a desenvolver métodos de ensino inovadores e procedimentos de resposta às necessidades individuais com recurso à aprendizagem baseada nas necessidades, ao ensino de grupos de pequena dimensão, à aprendizagem no local de trabalho e a diferentes contextos de aprendizagem para reduzir o abandono escolar.

A Educação Básica Flexível (JOPO®) é um projeto lançado pelo Ministério da Educação finlandês em 2006 com o objetivo de desenvolver novos métodos e procedimentos de ensino conducentes à redução do abandono escolar. Estes novos métodos dão resposta às necessidades individuais recorrendo à aprendizagem baseada nas atividades, ao ensino de grupos de pequena dimensão, à aprendizagem no local de trabalho e a diferentes contextos de aprendizagem. As atividades JOPO ajudam os alunos a concluir os estudos e a candidatar-se a formação adicional através de cooperação multiprofissional, intervenção precoce e intensificação da cooperação escola-casa. O projeto JOPO destina-se a alunos do 7.º ao 9.º ano, com idades compreendidas entre os 13 e os 15 anos. Em 2013, aproximadamente 1 800 alunos participaram no projeto JOPO.

As atividades do projeto JOPO são organizadas em pequenos grupos liderados por um professor e outro profissional. Em geral, os professores têm formação em ensino especial e os seus parceiros de trabalho são animadores de juventude, formadores de jovens, pedagogos da comunidade ou assistentes de necessidades especiais. As principais formas de atividade são o ensino de grupos de pequena dimensão e orientação individual; aprendizagem no local de trabalho e, eventualmente, estudos noutras disciplinas em grupos de ensino normais. Outras atividades incluem acampamentos escolares e várias excursões a fim de desenvolver o espírito de equipa e de comunidade. Os alunos também participam em formas de aprendizagem e cursos especiais adaptados às suas necessidades.

Mais concretamente, os grupos JOPO desenvolveram métodos de aprendizagem baseados em ações que destacam a aprendizagem indutiva e cooperativa, bem como a aprendizagem no âmbito de projetos e não liderada por professores. Em vez da aprendizagem centrada nas disciplinas, o projeto JOPO desenvolveu uma aprendizagem temática e uma utilização do tempo mais baseada nas necessidades e nas situações. Diferentes grupos destacam elementos ligeiramente diferentes. Nalguns grupos, o destaque vai sobretudo para a aprendizagem individual e orientada para necessidades especiais, ao passo que outros favorecem a aprendizagem no local de trabalho. As atividades de alguns grupos centram-se na aprendizagem baseada nos pontos fortes e nos interesses dos alunos, o que fomenta a sua autoestima, autoconfiança e orientação futura. Em todos os grupos, a tarefa educativa de base, ou seja, a aquisição de competências básicas de gestão da vida (gestão do tempo, trabalho em grupo) e do comportamento social consomem muito tempo, em detrimento do ensino formal.

Os motivos mais comuns para a inscrição num grupo JOPO são problemas de motivação, a necessidade de estudar em grupos de pequena dimensão e mau aproveitamento escolar. As situações de vida pessoal e familiar dos alunos do projeto JOPO são mais difíceis do que o normal, o que se manifesta através de problemas psicossociais e insegurança, e os grupos incluem uma percentagem superior à média de crianças de famílias monoparentais.

As atividades do projeto JOPO são eficazes. A situação de quase 90 % dos alunos melhorou em relação à situação inicial. No que respeita aos alunos que não beneficiaram, o principal motivo para não terem conseguido melhorar o seu aproveitamento escolar mesmo com o projeto JOPO foi a sua vida pessoal e familiar extremamente difícil. Os aspetos em que o projeto JOPO se revelou mais eficaz foram o assegurar que os alunos obtinham os seus certificados de conclusão do ciclo de estudos, a redução do absentismo e a melhoria da motivação para os estudos.

As situações dos alunos foram afetadas sobretudo pelo trabalho em grupos de pequena dimensão e pelo apoio e orientação pessoais. Outras formas de atividade eficazes foram a aprendizagem no local de trabalho, a intervenção imediata em caso de absentismo e a intensificação da cooperação escola-casa. Na prática, as diferenças entre os vários procedimentos do projeto JOPO foram diminutas e os resultados revelam que os efeitos são individuais; ou seja, o sucesso é explicado mais pelos antecedentes e pela situação de vida do aluno do que pela utilização de determinados modelos de ação no âmbito do projeto JOPO. Um determinado método funciona com alguns alunos, mas não com outros. O fator diferenciador nos benefícios obtidos é a participação de um aluno em atividades não tradicionais, nomeadamente na aprendizagem no local de trabalho e em acampamentos escolares. Os alunos que mais beneficiaram com o projeto JOPO participaram mais dias nestas atividades do que os que beneficiaram menos.

As atividades do projeto JOPO foram adotadas a título permanente e foram inscritas na Lei relativa ao ensino básico e no Decreto Governamental.

Ligações
Teachers' Blog
Tipo
Prática
País
Finlândia
Língua
BG; CZ; DA; DE; EL; EN; ES; ET; FI; FR; HR; HU; IT; LT; LV; MT; NL; PL; PT; RO; SK; SL; SV
Nível escolar
Primary; Secondary
Nível da intervenção
Segmentado; Universal
Intensidade da intervenção
Contínua
Fonte de financiamento
Governo nacional