Estudo sobre o apoio à inovação nas escolas europeias

A garantia de que todas as crianças realizam o seu potencial constitui uma prioridade máxima dos decisores políticos europeus em matéria de educação. Para o conseguir, é necessário que os os sistemas educativos sejam mais flexíveis e dinâmicos, apoiando abordagens inovadoras ao ensino e à aprendizagem que permitam às escolas acompanhar as rápidas mudanças sociais e económicas - e tornar uma educação de elevada qualidade acessível a todos.

Muitas escolas em toda a Europa estão a libertar-se das visões tradicionais da escolaridade, desafiando as fronteiras convencionais em termos de tempo e espaço, bem como os processos de ensino e aprendizagem. A diversidade das suas abordagens inovadoras demonstra as inúmeras formas pelas quais a educação pode transformar não apenas o que as crianças aprendem, mas como aprendem.

O estudo sobre o apoio à inovação nas escolas europeias oferece uma revisão abrangente das políticas de investigação e inovação escolar existentes nos 28 Estados-Membros da UE. O estudo inclui 12 estudos de caso aprofundados de 24 escolas de sucesso em regiões desfavorecidas da UE.

Principais constatações

O que impulsiona a inovação nas escolas?

O estudo revela que as escolas inovadoras desenvolvem culturas escolares com as seguintes características principais:

  • Liderança escolar solidária e repartida que garante um ambiente de trabalho baseado na confiança e oportunidades de desenvolvimento profissional, de investigação colaborativa e práticas de aprendizagem entre pares
  • A preparação, o compromisso e o profissionalismo dos professores e o apoio ao seu envolvimento em práticas colaborativas, reflexivas e de aprendizagem profissional
  • Uma visão comum para o desenvolvimento escolar, acompanhada de estratégias internas e planos de ação exaustivos
  • Alunos empenhados enquanto participantes ativos no processo de mudança
  • Abertura às comunidades locais e parcerias mais amplas

Apoio à inovação sustentável em todos os sistemas educativos

Para as escolas desenvolverem estas características, todo o sistema educativo deve promover a inovação. Para tal, é necessário:

  • Um quadro político coerente que abranja áreas essenciais como o currículo, a autonomia escolar e medidas de responsabilização, sistemas de desenvolvimento profissional de professores e dirigentes ecolares e políticas de financiamento, apoiados por uma visão de longo prazo para incorporar a inovação na educação escolar e assegurar a transformação de todo o sistema
  • Políticas construídas em conjunto com os principais interessados que são diretamente afetados por estes novos desenvolvimentos
  • Coerência e clareza quanto ao modo como diferentes iniciativas e políticas se relacionam entre si e contribuem para a realização de uma visão comum para a inovação escolar
  • Estratégias políticas consubstanciadas em iniciativas de apoio e medidas concretas consistentes com a estrutura e a visão políticas gerais e que ajudem a desenvolver a capacidade das escolas para gerir e sustentar a mudança

Os factos demonstram que as escolas têm maior probabilidade de desenvolver uma cultura de inovação quando:

  • Possuem autonomia suficiente em relação ao currículo, aos métodos de ensino, à gestão do pessoal e aos recursos financeiros
  • São horizontalmente responsáveis
  • Têm capacidade e oportunidades para se envolver em parcerias e redes
  • São apoiadas por sistemas de desenvolvimento profissional relevantes para professores e dirigentes escolares

Os países que conseguem transformar os seus sistemas educativos são aqueles em que o investimento sustentável é assegurado nas áreas fundamentais abrangidas pelas reformas educativas. Esses países também fortalecem o seu quadro de avaliação, promovendo uma cultura de autoavaliação e desenvolvendo a capacidade das partes interessadas da educação para utilizar e interpretar dados de monitorização.

Saiba mais

  • Um relatório integral explora as condições do sistema de educação escolar que podem permitir ou restringir mudanças positivas nas escolas
  • 12 estudos de casos exploram as abordagens nacionais e as inovações escolares individuais. Incluem as perspetivas dos principais especialistas e partes interessadas nacionais no setor da educação que foram entrevistados e participaram em workshops
  • 24 perfis individuais oferecem uma visão rápida das mudanças e experiências em cada escola

RELATÓRIO INTEGRAL: Estudo sobre o apoio à inovação nas escolas europeias

Elaborado pela PPMI para a Comissão Europeia e publicado em 2018

ESTUDOS DE CASOS PERFIS ESCOLARES – INOVAÇÕES E EXPERIÊNCIAS
Croácia Vežice, Rijeka Escola de Zadar, Distrito de Zadar
Estónia Kiviõli I. Keskkool, Kiviõli Jõgevamaa Gümnaasium, Jõgeva
Alemanha Wolfgang-Borchert-School, Berlin Escola Comunitária de Friedenauer, Berlim
Grécia 4th Primary School of Thiva, Viotia County 2.ª Escola Primária de Aliartos, Distrito de Viotia
Hungria Nyitott Ajtó / Open Door, Miskolc IV. Escola Primária de Bela, Hejőkeresztúr
Itália I.C. Ugo Foscolo, Taormina (Sicília) Papa Giovanni XXIII, Acireale, Catania (Sicília)
Lituânia Vyturys progymnasium, Panevėžys Salduvės progymnasium, Šiauliai
Países Baixos De Tjotter, Lelystad Warande, Lelystad
Roménia Școala Gimnazială ‘I. L. Caragiale’, Tulcea Colegiul Economic Buzău
Espanha Escola Infantil e Primária Clara Campoamor (CEIP), Granada Escola Primária Sierra Nevada, Granada
Suécia Centralskolan, Arvika Kyrkebyskolan, Arvika
Reino Unido President Kennedy School and Community College, Coventry Willenhall Community Primary School, Coventry

SÍNTESE em inglês / francês / alemão

ANEXO 1 – Visão geral sobre as inovações dos estudos de casos

ANEXO 2 – Metodologia e ferramentas utilizadas na investigação