Mentoria: um investimento para alunos, famílias e professores

Image: Racorn/Shutterstock.com

A mentoria pode dar um contributo essencial ao desenvolvimento pessoal e social de alunos e professores. Descrevem-se em seguida alguns projetos que dão um contributo positivo aos alunos e aos pais de diferentes origens culturais e/ou meios desfavorecidos, assim como projetos que apoiam os professores e as suas necessidades de desenvolvimento.

Rede de Mentoria Nightingale – As crianças cantam quando se sentem seguras

O programa de mentoria Nightingale foi criado na Universidade de Malmö, na Suécia, em 1997, e em 2006 foi implementado em sete países europeus.

No decorrer do programa, o professor estagiário é emparelhado com o pupilo, normalmente uma criança dos 8 aos 12 anos, com quem passa duas ou três horas por semana durante um período de dez meses (em geral, de outubro a maio). Em regra, esta criança é oriunda de um meio social ou cultural diferente.

Este intercâmbio beneficia a criança e o docente, uma vez que oferece uma excelente oportunidade para uma compreensão transcultural e uma aprendizagem intercultural. O mentor funciona como um modelo positivo para a criança, a qual desenvolve, com a ajuda do mentor, uma atitude mais confiante em relação à sociedade. O professor estagiário aproxima a teoria da prática e, em simultâneo, desenvolve empatia e um entendimento mais profundo em pessoas que vivem a mesma vida, mas através de um prisma cultural diferente.

Dando continuando à sua eficaz ação, o programa de mentoria Nightingale expandiu-se a nível nacional e internacional a mais de 20 locais, tendo-se tornado numa Rede em 2010. A rede conta com sete membros na Europa e os seus objetivos principais são o intercâmbio de conhecimentos para melhorar a qualidade geral da mentoria e providenciar e oferecer colaboração entre universidades europeias.

O sítio Web da rede contém uma fértil coleção de artigos de pesquisa sobre mentoria. 

O Comboio da Aprendizagem – Os pais também precisam de mentores

Diz-se com frequência que os pais se devem envolver na aprendizagem dos filhos e apoiá-los nas suas atividades escolares. Contudo, o que acontece quando os pais não se sentem capazes de tal tarefa? 

De Schoolbrug (“a ponte escolar”), uma ONG belga, em Antuérpia, oferece aos professores estagiários a oportunidade de participarem na iniciativa do Comboio de Aprendizagem. Através desta iniciativa, os professores estagiários aprendem a importância de envolverem os pais no processo de aprendizagem dos filhos. Os pais podem funcionar como valiosos recursos para as escolas e, tendo este aspeto em mente, poderiam ser convidados a partilhar as suas competências e conhecimentos.

O projeto foi implementado em cinco escolas de Antuérpia e coloca os professores estagiários em contacto com os pais de crianças oriundas da imigração e/ou de meios desfavorecidos uma vez por semana durante 60 a 90 minutos. Os professores têm a oportunidade de dar resposta às necessidades dos pais e de atender à forma como podem reforçar o seu envolvimento e contacto com as escolas. Durante este processo, os professores estagiários são orientados por um especialista em bem-estar educativo perante quem têm de responder semanalmente e após cada visita à família.

Os resultados do projeto até à data têm demonstrado uma melhoria constante do apoio aos estudos prestado pelos pais em casa. No entanto, é necessário um acompanhamento vigilante dado que as famílias participantes no programa são extremamente vulneráveis e qualquer mudança a nível do ambiente em que vivem pode ter repercussões sérias.

Descubra aqui algumas imagens e citações do projeto. Note que as citações são em flamengo e inglês. Para mais informações, leia a descrição pormenorizada.

O projeto MENTOR – Mentoria entre professores

A mentoria é de crucial importância para os professores principiantes. Contudo, nem todos os professores sabem como se tornar mentores construtivos. Com base nisto, o Projeto MENTOR visa preparar professores experientes na sua profissão para que se tornem mentores de novos professores.

Este projeto de três anos, financiado pelo Erasmus+, está a decorrer na Polónia, na Grécia, em Portugal, na Roménia e na Turquia, países em que os problemas de desenvolvimento dos professores são semelhantes. O projeto pretende investigar os métodos de mentoria existentes nos países parceiros; conceber e desenvolver módulos de formação para mentores de professores do ensino secundário e superior; organizar formação para mentores de professores; e facilitar o acesso sustentável à abordagem à mentoria nas escolas, assim como o intercâmbio de informações científicas.

O projeto já publicou um relatório de análise de necessidades, que especifica o nível de experiência e conhecimentos dos professores em matéria de mentoria nos países parceiros do projeto, e um manual para educadores, que apresenta um guia prático para o desenvolvimento de programas de mentoria entre professores experientes, diretores de escolas e docentes em princípio de carreira.

A base de dados de pesquisa do projeto disponibiliza documentos, artigos de imprensa, investigação académica e boas práticas de mentoria na Europa e fora desta.