Quais são os benefícios do ensino paralelo?

Image: Tom Barrett / Unsplash.com

Analisando de que forma os alunos e as famílias se envolvem com o “ensino paralelo” - ensino particular que complementa a aprendizagem escolar - podemos obter uma melhor compreensão da aprendizagem que ocorre fora das salas de aula. O que sabemos então sobre este fenómeno?

O “ensino paralelo" é um fenómeno generalizado, mas tem recebido pouca atenção na investigação convencional sobre a educação. Refere-se ao ensino particular pago com o objetivo de ajudar os alunos a ter sucesso no ensino formal.

TEsta aprendizagem complementar pode incluir aulas particulares, estudos após o horário escolar na escola e atividades culturais/de lazer. Alguns programas centram-se nas disciplinas curriculares, como a matemática e as línguas. Outros programas ajudam os alunos a desenvolver competências técnicas como a programação informática, a engenharia mecânica, a música ou o desporto. 

Embora este tipo de ensino não seja normalmente financiado por fundos públicos, pode ser encarado como um complemento do ensino formal e parte integrante do sistema educativo em geral. As entidades que o oferecem vão de particulares a concessões transnacionais (por exemplo, os centros Kumon). Os cursos são oferecidos numa variedade de locais (ambientes comerciais, edifícios de escolas públicas, centros comunitários, organizações juvenis, casas de alunos ou professores, bibliotecas) e, cada vez mais, as aulas particulares estão disponíveis em linha através de videoconferências e outras plataformas baseadas na Internet.

O ensino paralelo atingiu internacionalmente níveis massivos e as famílias de todos os níveis de rendimento podem investir nele para apoiar a aprendizagem e as oportunidades futuras dos filhos, incluindo o objetivo de obtenção de notas altas em exames sumativos de alto risco. O ensino paralelo também pode ser visto como uma forma de os alunos superdotados realizarem plenamente o seu potencial e interesses académicos.

Contudo, dado que esta aprendizagem complementar exige que as famílias paguem um preço por ela, podem levantar-se questões a respeito do seu contributo para um sistema educativo equitativo.